Cultura
Encontro dos Berbert marca Jubileu de 200 anos da chegada ao Brasil
Nazal prestigiou encontro histórico e falou da importância da família na construção de Ilhéus

Crédito: Secom/Clodoaldo Ribeiro

Enquanto a Alemanha lembra do aniversário de 200 anos de nascimento de Richard Wagner, importante intelectual do século XIX, o genial compositor que reinventou a ópera ao criar seu “Musikdrama”, várias gerações da família Berbert espalhadas pelos quatro cantos do Brasil, celebraram no Teatro Municipal de Ilhéus, o Jubileu de 200 anos que marca a saga da família de origem alemã da cidade de Erzhausen, que partiu de Hamburgo em direção às terras brasileiras. Para contar essa história, as cortinas do teatro se abriram na noite do último sábado, 28 de abril. No palco, as lembranças dos momentos difíceis e as expectativas da época de conseguir uma vida melhor.

Na chegada, os participantes foram recebidos por um grupo de capoeira formado por mestres, como valorização da cultura irmã afrodescendente. Em seguida, a entrada das bandeiras representando os estados por onde se concentram representantes da família Berbert. Guilherme é um descendente e pesquisador. Ao longo de 20 anos dedicou-se a investigar a origem de como tudo começou. “Estamos lançando um livro que conta o motivo da vinda da família no Brasil e como foi a chegada do primeiro grupo de colonos que desembarcou no país por volta de 1818 e se fixou no sul da Bahia”, explica.

Legado – Ao elogiar o momento da festa de comemoração da família Berbert, o vice-prefeito de Ilhéus, José Nazal Soub, presente ao evento, ressalta a alegria e a honra de Ilhéus ser palco desta celebração, sobretudo pelo legado deixado por seus protagonistas. “É de se reconhecer a importância da família na luta pela construção e o desenvolvimento da região, como exemplo o Fórum Epaminondas Berbert de Castro, o Porto de Malhado e também a implantação e o fortalecimento da lavoura cacaueira. Esperamos que outras famílias tomem como exemplo de buscarem sua história, afinal, quem não conhece seu passado não pode pensar no seu futuro”, frisou.

Um dos motivos que desencadearam o processo de imigração foram os frequentes problemas sociais que ocorriam no continente Europeu e principalmente a fartura de terras existentes no Brasil. Um espetáculo com final feliz para muitos que escolheram Ilhéus como sua identidade e sua terra. E, com muito orgulho, fazem parte da nossa gente e da nossa história.


Nazal prestigiou encontro histórico e falou da importância da família na construção de Ilhéus

Crédito: Secom/Clodoaldo Ribeiro

 
Mais Notícias
   17/3/2018 - Além de memórias, Casa de Jorge Amado oferece souvenirs
   15/3/2018 - Nova geração de poetas de Ilhéus recebe premiação de concurso
   15/3/2018 - Oficinas de projetos itinerantes vão percorrer bairros de Ilhéus
   14/3/2018 - Juventudes, livros e zaps viram tema de debates na Flios
   8/3/2018 - Ilhéus lança prêmio para seleção de propostas culturais
   5/3/2018 - Encontro de Compositores do Litoral Sul começa quarta em Ilhéus
   21/2/2018 - Pedro Hoisel e Cris Diniz fazem show no TMI
   19/2/2018 - Ciranda Ilhéus na Praça reúne arte, cultura e gastronomia
   15/2/2018 - Ilhéus debate projetos culturais
   10/2/2018 - ´Os Caretas´ sairá na avenida no domingo
   6/2/2018 - Aberta inscrição para o Concurso de Poesia Castro Alves
   3/2/2018 - Festival Literário de Ilhéus acontece em maio
   3/2/2018 - Festa de Iemanjá reúne populares simpatizantes e adeptos do candomblé
   29/1/2018 - Encontro abre inscrições para compositores e bandas autorais do Litoral Sul
   22/1/2018 - Exposição de Guido Lima no TMI segue até 15 de março
   21/1/2018 - Carnaval de Ilhéus também terá capoeira
   15/1/2018 - Biografia histórica de uma pianista negra de Salvador é retratada no cinema
   12/1/2018 - Galeria do TMI recebe exposição do artista plástico Guido Lima
   12/1/2018 - Puxada do Mastro terá festas e resgate da tradição
   9/1/2018 - Festa da Puxada do Mastro acontece neste final de semana



© Jornal Bahia Online | Todos os direitos reservados.   Layout