Bahia
MPF aciona estado contra interceptações telefônicas por setor da SSP
MPF reage contra as interceptaçõers

Crédito: Imagem meramente ilustrativa

O Ministério Público Federal na Bahia (MPF/BA) ajuizou hoje, 10 de março, ação civil pública, com pedido liminar, contra o Estado da Bahia, para obrigá-lo a cessar a realização interceptações telefônicas por meio de órgãos que não pertencem à estrutura da Polícia Judiciária e do Ministério Público (MP) — especialmente a Superintendência de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública (SI-SSP/BA). No pedido liminar, o órgão também requer à Justiça Federal a fixação de multa em caso de descumprimento.

Os procuradores da República Pablo Coutinho Barreto, Vanessa Gomes Previtera e Fábio Conrado Loula ressaltam que o objetivo da ação é garantir que a União não seja responsabilizada pela ilegalidade e cumpra tratados internacionais, ratificados pelo Brasil, que garantem o direito à investigação policial pelas autoridades competentes.

De acordo com o MPF, a Lei nº 9.296/96 “limitou à autoridade policial, ao Ministério Público e ao Poder Judiciário a participação na constituição do acervo probatório proveniente de uma interceptação telefônica”. Contrariamente ao disposto na legislação federal, no Estado da Bahia, após o deferimento judicial, toda a fase de escuta de diálogos telefônicos, gravação das conversas em mídia e transcrições dos áudios é realizada pela Superintendência de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública.

Na ação, o MPF compara a ilegalidade com o caso “Escher e outros vs. Brasil”, ocorrido em 2000, quando o Brasil foi denunciado perante a Comissão Interamericana de Direitos Humanos por violações semelhantes. Na ocasião, o país foi condenado a pagar, no total, cem mil dólares americanos de multa a cinco vítimas, por interceptações telefônicas que violaram as regras estabelecidas na Lei nº 9.296/96, e outras normas internacionais.

O MPF já havia recomendado, em janeiro deste ano, ao Delegado Geral da Polícia Civil na Bahia, Bernardino Brito Filho, a revogação do normativo que determina a operacionalização de interceptação de ligações telefônicas pela Superintendência de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública do Estado da Bahia. Cópias da recomendação também foram enviadas ao governador do Estado e ao Secretário de Segurança Pública, mas os termos do documento não foram acatados.


MPF reage contra as interceptaçõers

Crédito: Imagem meramente ilustrativa

 
Mais Notícias
   24/4/2017 - Rui lança em Itabuna o programa Escolas Culturais
   24/4/2017 - Prefeitos debatem novo modelo de regulação e pactuação de saúde
   22/4/2017 - Governador garante reforma em escolas das regiões dos assentamentos do MST
   17/4/2017 - UESC começa período letivo com calourada e ações afirmativas
   13/4/2017 - PM inicia operação nas rodovias estaduais para feriadão
   12/4/2017 - OAB estadual completa 85 anos
   11/4/2017 - Estado oferece 2,5 mil vagas de estágio para universitários
   7/4/2017 - Professores do estado mobilizam para greve geral
   3/4/2017 - Entrega de Documentos da Chamada Geral da UFSB começa na quarta
   30/3/2017 - Estado intensifica ações de controle do vírus da febre amarela
   30/3/2017 - Estado promove mais de 1.300 professores e coordenadores por titulação acadêmica
   29/3/2017 - Municípios precisam ter Plano de Carreira da Educação sustentável
   28/3/2017 - Governador Rui em Ilhéus e Itabuna nesta quarta
   26/3/2017 - Direito é o curso melhor avaliado na Uesc, segundo Enade
   24/3/2017 - Clone de cacaueiro da Ceplac garante mais de 100 arrobas por hectare
   24/3/2017 - Prefeitos baianos debatem plano de carreira da educação nesta terça
   23/3/2017 - Calouros da UESC podem participar do Programa Mais Futuro
   22/3/2017 - PRE apura servidores que podem ter se candidatado apenas para tirar licença
   20/3/2017 - A prevenção na segurança pública passa pela educação, afirma Rui
   15/3/2017 - Ônibus tomba parcialmente na BR 251; buracos prejudicam agricultores



© Jornal Bahia Online | Todos os direitos reservados.   Layout