Artigos
Piedade Centenária, minha reverência
Instituto Nossa Senhora da Piedade

Crédito: Divulgação

Em 1915, a pedido de Dom Manuel de Paiva - então bispo de Ilhéus- a Madre Maria Thaís do Sagrado Coração Paillart - Ursulina francesa da Comunidade de Quimperlé (Bretanha - França), Provincial das Ursulinas do Brasil entre 1915 e 1921 - aceitou o desafio da abertura de um colégio nesta cidade, que ainda não possuía nenhum estabelecimento religioso de ensino.

A despeito das dificuldades que inicialmente encontrou para realizar a missão a que se propunha, visto que não havia previamente nenhum respaldo financeiro que garantisse o projeto, além de que, nem os ilheenses conheciam as religiosas, e nem o episcopado, recém-instalado, conhecia o povo da cidade, mas, confiante na Providência Divina, e com a inspiração de que “A fonte não tem necessidade de água e onde não há fonte, é preciso criá-la”, conseguiu vencer as intempéries, aproximou-se da comunidade de quem recebeu auxílio, e em setembro de 1916, fundou o Instituto Nossa Senhora da Piedade, Convento Católico das Freiras Ursulinas, de imponente arquitetura em estilo gótico.

Portanto, 2016 é ano das comemorações do centenário da escola, patrimônio cultural e educacional de Ilhéus, que se renova através dos tempos, com o empenho marcado pelo zelo e amor das religiosas, professores, alunos, enfim, de todos que de uma maneira ou outra vêem colaborando, ao longo destes anos, para a construção da sua bela história. No local funciona o Museu da Piedade, com mobiliário antigo e peças sacras, local que realiza exposições de artistas regionais, sob curadoria de Anarleide Menezes.

A capela é lindíssima! Madre Cíntia Lessa é a atual Priora do INSP. Merecedora de homenagens especiais, Irmã Georgina Costa, grande gestora da educação Regional, e condutora pedagógica da Piedade, recebeu a comenda São Jorge dos Ilhéus por ocasião das comemorações dos 482 anos de emancipação da cidade de Ilhéus, e recebe a comenda poeta Abel Pereira, ofertada pela Academia de Letras de Ilhéus, cujo presidente é o professor Josevandro Nascimento.

No mês de setembro acontecem as festividades comemorativas,  com  encontro de ex-alunos, missa, campeonatos esportivos, dentre outras. Sinto-me honrada da condição de ex-aluna. Na Piedade estudei onze anos, atravessei toda a infância e adolescência vivendo dias felizes, de grande aprendizado, naqueles pátios, corredores, salas de aula, capela e no charmoso teatro auditório só nosso! Lá também estudaram minha saudosa mãe Janete Badaró, irmãs, filhos, sobrinhos. Do alto da colina, janelas abertas, mirante pro céu e pro mar, o velho e querido Convento, laboriosamente, vê a cidade crescer aos seus pés...

A autora Jane Hilda é jornalista, artista plástica e escritora e foi aluna da escola


Instituto Nossa Senhora da Piedade

Crédito: Divulgação

 
Mais Artigos
   30/10/2017 - A decadência das cidades – ou a revolução dos bichos
   18/10/2017 - Tecnologia é boa, mas...
   11/10/2017 - Os muitos pais da BR-415
   8/10/2017 - Um novo tempo para o Sul da Bahia
   5/10/2017 - Bancos! Ah, os bancos!
   13/9/2017 - Mais que violência – brutalidade
   6/9/2017 - Sou brasileiro, sou solidário!
   29/8/2017 - Nem Rio de Janeiro nem Haiti, a violência também impera aqui
   22/8/2017 - A utopia canavieirense
   3/8/2017 - Mandioca, o exemplo que vem do Sul
   20/7/2017 - Na democracia é bem melhor
   11/7/2017 - Chocolate é comida de boi
   26/6/2017 - O legado das cooperativas baianas para o Brasil
   6/6/2017 - Aguenta o tranco, Brasil!
   4/6/2017 - Variações sobre o mesmo tema
   1/6/2017 - Greve de vigilantes ou de bancos?
   20/5/2017 - Como será?
   3/5/2017 - O Castigo de Clemente
   25/4/2017 - Mudam–se os costumes; nem sempre para melhor
   23/4/2017 - Zidane, Zizou



© Jornal Bahia Online | Todos os direitos reservados.   Layout